O que a Bíblia diz sobre preguiça? Preguiça é pecado?

Tempo de leitura:9 Minuto, 39 Segundo

Em diferentes estágios da vida, dependendo de vários fatores, é possível que as pessoas passem por períodos em que falta o desejo de ser produtivos.

Nessas fases passamos a nos considerar, ou considerados preguiçosos.

Os fatores que mencionei são coisas como o tipo de educação que tivemos ou a condição das famílias em que crescemos.

Também nossa personalidade, o grau de maturidade que alcançamos, ou situações emocionais.

Todas essas coisas têm um impacto sobre o que queremos dizer com preguiça.

Diante de questões como, o que a Bíblia diz sobre preguiça, ou é pecado preguiça?

Gostaria de responder com uma série de comentários sobre isso.

Mas primeiro vamos olhar para o que preguiça significa na Bíblia.


O que significa preguiça na Bíblia?

Há palavras diferentes em grego e hebraico para falar de preguiça, línguas nas quais a Bíblia foi escrita.

No entanto, em suma, a definição bíblica de preguiça é uma falta de vontade e vontade para terminar o que foi iniciado ou para cumprir o trabalho que nos foi confiado.


Perspectiva bíblica sobre preguiça.

Para falar sobre preguiça de uma perspectiva bíblica, a primeira coisa é olhar para o que a Bíblia diz.

Leia comigo esta passagem da Bíblia introdutória:

Vá, preguiçoso, olhe para a formiga!

Olhe para o que ele faz, e ganhe sabedoria!

Ele não tem ninguém para comandá-lo, ninguém para vigiá-lo, ou para governá-lo; no entanto, no verão armazena provisões e durante a colheita coleta alimentos.

Preguiçoso, quanto tempo mais você vai ficar deitado?

Quando você vai acordar do seu sono?

Um sonho curto, um cochilo curto, um pouco de descanso, braços cruzados… e você será agredido pela pobreza como um bandido, e escassez como um pistoleiro!

Provérbios 6:6 – 11

Com este texto bíblico como referência, vamos abordar a questão da preguiça a partir das diferentes perspectivas que a Bíblia nos dá.


#1 Preguiça é pecado

Claramente a Bíblia não elogia a preguiça.

Há muitas passagens em que a Bíblia condena uma atitude preguiçosa e não a promove em nada.

Como seres humanos, um dos primeiros comandos que Deus nos deu depois de deixar o Jardim do Éden foi trabalhar, Gênesis 2:15.

Para ser produtivo.

Uma vez que Deus nos deu esse mandamento, uma atitude preguiçosa injustificada pode ser considerada um pecado, pois estaríamos desobedecendo o comando divino.

A razão pela qual Deus quer que sejamos produtivos é porque Ele sabe que é uma bênção para nossas vidas.

Ele sabe que trabalhar ou ser ativo é positivo para nossa saúde espiritual, física, social e psicológica.

Como um pai amoroso, ele nos instiga a fugir da preguiça e caminhar no caminho certo.


#2 Falta de proatividade também é preguiça

Em nosso trabalho, quando só fazemos o mínimo de esforço possível, ou quando fazemos apenas as coisas necessárias para que não sejamos repreendidos ou demitidos, estamos sendo preguiçosos.

Estamos cometendo um pecado.

No nosso dia a dia, quando não temos objetivos ou objetivos que nos motivem à ação autônoma, também estamos sendo preguiçosos.

No texto de hoje, vemos como Salomão convida os preguiçosos a considerar formigas, que trabalham sem a necessidade de alguém para vigiá-las ou governá-las.

Em contraste, a preguiça só faz o que é forçado a fazer através do uso de autoridade ou vigilância.

Não é proativo, não se preocupa em assumir responsabilidades ou iniciativas de forma autônoma.

Mesmo que ele veja o perigo ou o problema se aproximando de sua vida, ele não age para mudar a situação ou resolvê-la.

A Bíblia compara-a com o seguinte:

A preguiça diz: Há um leão lá fora; Estarei morto nas ruas.

Provérbios 22:13

Ou seja, ele sabe que há um perigo, mas em vez de se livrar do perigo ele se condena sem fazer nada.


#3 Preguiça destrói nosso futuro

Preguiça nos faz perder anos valiosos de nossas vidas em inatividade, sem nos mudarmos para lugar nenhum, o que mais tarde limitará nossas possibilidades no futuro.

Se nos entregarmos à preguiça, nos condenamos a um futuro medíocre.

Salomão nos deixa claro que é necessário aprender com a formiga, que no verão armazena provisões e durante a colheita coleta alimentos.

Da mesma forma, preguiça à parte, devemos prever o futuro, através do trabalho no presente.

Deus está disposto a nos abençoar abundantemente, mas como mencionado no título anterior Ele quer que sejamos produtivos para nosso próprio bem e façamos nossa parte para alcançar os objetivos e sonhos que temos.

O homem preguiçoso aspira, e não consegue nada;  o diligente vê seus desejos realizados.

Provérbios 13:4

É verdade que às vezes a vida é difícil, e que não temos tudo o que queremos, mas em muitas ocasiões pode ser que falta diligência e perseverança.

Se, por outro lado, você deu o seu melhor esforço e ainda não vê resultados, não se desanime.

Faça uma pausa para recarregar e continuar até ver o fruto do seu trabalho.


#4 Preguiça nos causa pobreza

Corrigir o comportamento preguiçoso é indispensável para alcançar a prosperidade financeira.

Segundo a Bíblia, uma pessoa que, por preguiça, não trabalha para suas necessidades, nem deve comer.

Aqueles que se entregam à preguiça, e não trabalham sistematicamente e proativamente em direção a objetivos claros, sempre serão pobres.

Uma vez, em uma das minhas viagens, ouvi um ditado que dizia “homem preguiçoso não monta um belo cavalo ou gosta de uma mulher bonita”.

Um ditado popular que, se interpretarmos dentro do quadro dos valores cristãos, nos lembra que apenas aquele que trabalha merece desfrutar do bem da vida.

Em nosso texto de hoje, o sábio Salomão adverte a preguiça de que a cada sonho curto, cada cochilo curto, cada pequena pausa, cada vez que ele se senta de lado, ele está progressivamente trazendo pobreza e escassez em sua vida.

Isso não se refere ao resto para recarregar que fazemos todos os dias, ou as pausas que às vezes são necessárias para repensar nosso projeto.

Pelo contrário, ele fala de uma atitude em que a pessoa está sempre cansada, sempre precisa dormir, na qual dobra os braços e diz: não há nada para fazer.


O que é preguiça espiritual?

Enquanto escrevia este post, notei que muitas vezes, como cristãos, podemos nos sentir preguiçosos espiritualmente, podemos perder de vista o objetivo.

Lembre-se que Paulo diz a Timóteo na segunda carta que ele lhe envia:

Lutei a boa luta, terminei a corrida, mantive a fé.

Para o resto, a coroa da justiça é mantida para mim, que o Senhor, o justo juiz, me dará naquele dia; e não só para mim, mas também para todos que amam sua vinda.

2 Timóteo 4:7-8

Ou seja, Paulo compara a vida cristã como uma batalha ou uma raça, ser cristão requer um esforço, na maioria das vezes extraordinário, para não desistir.

Lembremos da definição dada no início, de que preguiça é uma falta de desejo de terminar o que começou.

Com isso em mente, podemos concluir que preguiça espiritual é quando não queremos continuar a corrida.

Quando dizemos hoje que não quero rezar, ou estou muito cansado ou cansado para ler a Bíblia.

Mas pouco a pouco, estamos perdendo força espiritual e, de uma forma sutil, caímos em um sono profundo do qual pode ser difícil acordar.

O interessante é que no início pode passar despercebido.

Não corremos para nos salvar, porque já estamos em Jesus, corremos para ser mais como Ele todos os dias e nos preparamos para viver com Ele na eternidade.

Para que ninguém roube o prêmio de nós.


Como saber se o que eu sinto é preguiça

Tendo tudo isso claro, gostaria de acrescentar uma série de observações pessoais, que são totalmente subjetivas, mas acho que elas fornecem uma perspectiva mais ampla para o problema da preguiça e suas causas.

Vamos colocar as lentes redentoras que Deus usa para abordar o assunto de uma forma mais equilibrada.

É possível confundir falta de motivação com preguiça.

Todas as pessoas são diferentes, temos habilidades, aptidões, interesses, temos diferentes pontos fortes e fracos.

É por essa razão que nem todos nós desfrutamos ou encontramos realização na execução das mesmas atividades.

Uma pessoa considerada improdutiva, ou preguiçosa em uma determinada tarefa, pode ser altamente produtiva em outra.

Assim, é importante determinar se a razão pela qual uma pessoa evita uma determinada atividade é devido a uma falha em seu caráter, ou seja, ele é preguiçoso, ou se é porque essa atividade, ou tipo de atividade, é altamente insatisfatória e frustrante.

Para sermos produtivos devemos focar, de forma proativa e na medida do possível, na realização dessas atividades que nos tragam mais interesse ou que nos proporcionem maior satisfação.

Devemos também admitir que todos os trabalhos ou atividades terão uma parte não tão satisfatória, mas que são necessárias para serem realizadas para alcançar nossos objetivos.

Um exemplo simples pode ser: viajar.

A maioria de nós gosta dessa atividade, mas pode haver outras coisas como: arrumar sua mala, fazer imigração no aeroporto ou dormir em uma cama dura de hotel.

Essas coisas não são muito agradáveis, mas são necessárias para poder fazer a viagem.

Relação entre saúde física ou mental; e preguiça.

Outra consideração que eu gostaria de fazer é que várias doenças físicas e mentais, ou simplesmente períodos que uma pessoa passa em um nível emocional, podem trazer consigo uma diminuição nos níveis de energia.

Portanto, resultam em uma atitude improdutiva que pode ser mal interpretada como preguiça.

Casos como ansiedade, depressão, perda de um ente querido, separação sentimental, entre outros.

É importante determinar se sua situação está associada a alguma dessas causas para tratá-la.

Preguiça e paternidade na primeira infância

Finalmente, e muito importante, é entender que um hábito de preguiça uma vez determinada com força, tem sua origem principalmente em situações de educação ou família.

Em muitos casos, esses tipos de comportamentos são aprendidos em casa ou são padrões de comportamento que desenvolvemos que não foram corrigidos a tempo.

Mas isso não significa que somos um caso perdido.

Significa que, com a ajuda de Deus, uma vez determinada a nossa realidade, podemos enfrentá-la de forma proativa e redentora para melhorar essas fraquezas.

Reconhecer é o primeiro caso de mudança.


Dicas para combater a preguiça

Se você considerar que sofre de preguiça, por qualquer motivo, quero convidá-lo a começar em oração para pedir a Deus para lhe mostrar e guiá-lo para as ideias, recursos e pessoas que podem ajudá-lo a sair dessa situação.

Você não é um caso de cesta, você é uma obra-prima no processo de elaboração.

Com o tempo e o autoconhecimento, Deus mostrará quais causas, coisas e maneiras de você ser mais produtivo e útil.

Olhe para aqueles momentos em que você se encontra preguiçoso e se pergunta sobre as causas.

Então, decida agir.

No início será difícil, a mente e o corpo são fortalecidos pela atividade, se você tem sido preguiçoso por um longo tempo é possível que você esteja um pouco enferrujado.

Mas não desista, lembre-se que em Cristo você pode fazer tudo, porque Ele te fortalece e o esforço vai valer a pena.


Você se considera preguiçoso? Outros o consideram uma pessoa preguiçosa? Qual é a sua situação? Compartilhe com todos nós para crescermos juntos.


Você está lutando com problemas ou circunstâncias difíceis em sua vida, e você sente que precisa de ajuda?

Estamos aqui por você. Oferecemos a você a possibilidade de falar com alguém que vai ajudá-lo através de todas essas coisas difíceis, sempre de mãos dadas com Deus.

Desconto no aconselhamento cristão

Use o cupom DIOSPRIMERO2022 quando for fazer o pagamento e obtenha 50% de desconto.

Bênçãos e um abraço.

O que a Bíblia diz sobre preguiça? Preguiça é pecado?

Sobre o autor

Daniel & Jessi

Quando minha mente estava cheia de dúvidas, seu conforto renovou minha esperança e minha alegria. Salmos 94:19 | Conheço muito bem os planos que tenho para vós — afirma o Senhor — planos de bem-estar e não de calamidade, para vos dar futuro e esperança. Jeremias 29:11
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.