Julgar os outros

O que a Bíblia diz sobre julgar os outros?

Tempo de leitura:14 Minuto, 42 Segundo

O assunto do julgamento na Bíblia é de grande importância. Muitas vezes ouvimos a Bíblia falar sobre não julgar os outros. Talvez seja por isso que hoje parece haver um consenso em diferentes culturas de que não julgar é melhor.

Ainda assim, muitas pessoas, incluindo cristãos, lutam para julgar os outros.

Talvez não queiramos, mas é difícil para nós.

Surgem então as perguntas: o que a Bíblia diz sobre julgar os outros? É verdade que a Bíblia nos exorta a não julgar? Ou ainda, o que é dito sobre julgar na Bíblia?

Vejamos um trecho da escritura para começar a responder a essas e outras perguntas.

“(…) você, que julga os outros, não tem desculpa, não importa quem você seja, porque ao julgar os outros você se condena, porque você faz as mesmas coisas que eles fazem. (…) diante de Deus todas as pessoas são iguais”. Romanos 2:1, 11

Gostaria de compartilhar com vocês algumas observações sobre o que esses e outros versículos nos ensinam sobre o julgamento na Bíblia.

Mas primeiro vamos definir o que é julgar os outros de acordo com a Bíblia.

Isto é, o significado bíblico de julgar.


O que significa julgar os outros na Bíblia?

O significado bíblico de julgar é formar um julgamento ou uma opinião sobre uma coisa ou pessoa.

É tomar a atitude de um juiz e deliberar sobre um assunto ou ações de nosso próximo e emitir uma sentença ou opinião sobre eles.

Ao fazer um traçado bíblico da palavra julgar os outros, nas línguas bíblicas originais, pode-se perceber que em alguns casos é um verbo, que significa “acusar ou condenar”, e em outros vem de uma raiz hebraica onde indica ” julgar, libertar” ou governar.”

No campo do governo, o significado bíblico de julgar refere-se, por exemplo, ao tempo em que o povo de Israel não tinha rei, mas sim um sistema de juízes.

Essas pessoas eram líderes que resolviam disputas e dirigiam o povo, assim julgavam.

Se você quiser se aprofundar no significado e onde é usado na Bíblia, visite este site.


Voltando à ideia inicial, de que a Bíblia nos fala sobre julgar os outros, encontramos o seguinte:

Por que a Bíblia nos exorta a não julgar os outros

# 1 Ao julgar, esquecemos que somos iguais diante de Deus.

O apóstolo nos diz nesses versículos que “perante Deus todas as pessoas são iguais”.

Ao nos colocarmos como juiz dos outros, estamos pensando que somos superiores a eles, o que não é verdade aos olhos do céu.

Muitos de nós precisamos urgentemente entender que somos todos igualmente pecadores diante de Deus. Por isso, não devemos julgar os outros.

Para Deus não há homem que por suas próprias ações ou méritos seja melhor ou pior do que outro.

A Bíblia ensina que nossas boas ações, quando comparadas à santidade de Deus, são completamente sem mérito.

Ou seja, nossas boas ações, por si só, não nos constituem nenhum mérito adicional diante de Deus.

A única coisa que nos permite ser aceitos por Ele é a graça e o sacrifício de Jesus Cristo, sem o qual nada do que fazemos tem méritos redentores para Deus.


#2 Ao julgar subestimamos a graça de Deus

Não devemos julgar os outros porque julgar os outros por seus pecados é um sinal sério de não entender a graça e de rejeitar o sacrifício de Jesus Cristo.

O apóstolo nos diz nos versículos que estamos meditando hoje que ao julgar os outros estamos condenando a nós mesmos, porque fazemos as mesmas coisas.

Como vimos no ponto anterior, somos todos iguais perante Deus.

Ao julgar os outros, mostramos que vemos méritos em nossas ações que nos tornam melhores que os outros.

A realidade é que o que realmente nos permite ser considerados salvos é nos lavarmos diariamente no sangue de Jesus.

Se julgarmos, não estamos valorizando ou compartilhando a graça que recebemos de Deus pelos próprios pecados que estamos criticando.


#3 Ao julgar nos colocamos no lugar de Deus

Caro leitor, como diz o apóstolo, ao julgar os outros não temos desculpa.

Não conhecemos as histórias dos outros.

Não conhecemos a infância, a criação, os traumas, as feridas que cada pessoa carrega.

Se os conhecêssemos, seríamos mais compreensivos ao fazer julgamentos, porque entenderíamos por que eles se comportam dessa maneira.

E mesmo se os conhecêssemos, não deveríamos julgá-los.

Só Deus conhece a história e a dor de cada pessoa.

É Ele que, no devido tempo, julgará cada um de acordo com sua santa lei e verdadeira justiça.

Embora queiramos ser justos ao julgar, é quase impossível sermos.

Não cabe a nós julgar os outros, somente Deus.


#4 Não devemos julgar porque somos todos pecadores

Voltemos às palavras de Paulo, quando ele diz que ao julgar os outros estamos condenando a nós mesmos, porque fazemos as mesmas coisas.

também c

então ele diz que diante de Deus todas as pessoas são iguais.

O pecado não é apenas cometer uma ação errada de tempos em tempos, mas é uma condição inata da humanidade hoje.

Uma condição tal que todos, sem distinção, nos separam da mesma forma e no mesmo grau da presença de Deus.

Independentemente da ação, para Deus o pecado é a mesma coisa.

Para nós existem pecados mais graves do que outros, pois o pecado de Deus é o mesmo em essência.

Pense nisso, a bíblia compara o problema do pecado na humanidade com a lepra.

Isso ilustra como isso nos separa de Deus.

Certa vez, ouvi um pregador dizer que um acampamento de leprosos é uma das coisas mais fétidas e repugnantes que poderíamos abordar em nossas vidas.

O pregador disse que você pode sentir o cheiro terrível a vinte metros de distância ou mais.

Infelizmente, em face da santidade perfeita de Deus, é assim que nossa condição inata se parece.

Imagine, então, quão estranhos parecemos diante de Deus, quando julgamos uns aos outros, se estamos enlameados até a coroa da mesma substância.

Mas apesar disso, Deus veio a esta terra para nos redimir, somente através da morte de Jesus na cruz todos nós nos reconciliamos com o céu.


#5 Julgar na bíblia é sinal de orgulho

Vamos considerar alguns outros versículos da Bíblia sobre julgar os outros:

Em essência, nossa atitude ao julgar os outros não é outra senão a do fariseu na parábola do fariseu e do publicano:

“Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens, extorsores, injustos, adúlteros, ou mesmo como este publicano; Jejuo duas vezes por semana, dou o dízimo de tudo o que ganho.

 

Lucas 18:11

Se você notar, o fariseu está fazendo uma oração, e enquanto ele está fazendo isso ele está julgando os pecadores e comparando-se a eles para se exaltar.

Jesus condenou a atitude deles na parábola.

Considere o quão triste e ridículo nós, seres humanos, podemos nos comportar.

Deus quer ver humildade em nós, que todos os dias de nossas vidas dependamos inteiramente dEle.

Em vez disso, Jesus apreciou a atitude do publicano.

“O publicano, estando longe, não quis nem erguer os olhos para o céu, mas bateu no peito, dizendo: ‘Deus, tem misericórdia de mim, pecador’.

 

Lucas 18:13

Todos nós, sem exceção, temos pecado em nossas vidas.

Se não vemos pecados em nós mesmos, mas nos outros, ou se pensamos que os pecados dos outros são piores que os nossos, é porque somos orgulhosos.

Em todos os momentos devemos escrutinar nossos corações para erradicar de lá o orgulho e a vaidade que nos faz acreditar que temos o direito de julgar.


#6 Julgar nos impede de amar a Deus corretamente

Continuemos analisando a parábola do fariseu e do publicano.

Segundo ela, devemos ter muito cuidado.

Ao julgar não estamos apenas subestimando a graça de Deus porque consideramos que nossas obras merecem algo, mas ao ter a atitude do fariseu, estamos nos impedindo de amar a Deus adequadamente.

Jesus colocou assim no caso da mulher adúltera:

“(…) se ela amou muito, é porque seus muitos pecados lhe foram perdoados.

 

Mas a quem pouco se perdoa, pouco ama.

 

Lucas 7:47

As pessoas viam aquela mulher e a julgavam pensando que eram melhores que ela.

Mas Jesus mostrou-lhes que a atitude deles os distanciava de Deus.

Pensando que Deus tinha pouco para perdoá-los, eles se impediram de amar a Deus por lhes dar tanto perdão.

Coisa que a mulher valorizava.

Se em nossos corações não há humildade para nos vermos pelo que realmente somos, mas antes pensamos que somos melhores que os outros, como podemos perceber o quanto fomos perdoados?

Como podemos amar tanto ao Senhor por nos dar tanto amor e tanto perdão?

Ao julgar, nos concentramos nas falhas dos outros e não nas nossas. Não apreciamos o quanto Deus nos perdoou e, portanto, não o amamos.


Diferença entre aconselhar e julgar ou criticar

Agora, continuando com o argumento da história da mulher adúltera, poderíamos pensar:

“Sei o quanto Deus me ama e que Ele é bom.

Por isso devo ser o tutor do meu irmão e corrigi-lo caso o veja mal».

O acima é parcialmente verdadeiro.

Uma coisa é conversar com alguém que precisa de conselhos, uma palavra de encorajamento para elevá-lo.

Alguém que amorosamente precisa ser mostrado o que está fazendo de errado para ajudá-lo a se redimir e ser uma nova criatura, outra bem diferente, é apontar, julgar ou criticar.

É melhor examinar a si mesmo e pensar duas vezes antes de dar nossa opinião quando ninguém nos perguntou, provavelmente o fazemos por orgulho.

Afinal, por que você tem que ser o único a dizer a ele?

Não há alguém mais adequado?

Certamente sim.

Do devemos evitar a todo custo dar nossa opinião inutilmente sobre alguém.

Sem cuidar e amar o próximo, sem graça ou compaixão, que são a manifestação da obra do Espírito de Deus no crente genuíno.

Devemos ter cuidado para não dar nossas opiniões, acreditando ser Deus, capaz de dizer quem merece o céu ou não.

Pensando como o fariseu, acreditando que apenas uma certa classe de pessoas irá, aquelas que são como eu, e que o resto está excluído de sua graça.

Jesus disse que as prostitutas e cobradores de impostos, por causa de sua capacidade de se arrepender, foram adiante para o reino dos céus antes dos soberbos, que achavam que não precisavam de arrependimento.


Consequência de julgar na vida de quem julga

Se julgarmos tolamente, estamos invocando severidade no julgamento de Deus sobre nós.

Jesus nos diz claramente na Bíblia:

Não julgue, ou você também será julgado.

 

Porque da mesma forma que você julga os outros, você será julgado, e com a medida que você usar, ela será medida para você.

 

Por que você olha para o cisco no olho do seu irmão e não presta atenção na tábua no seu próprio olho?

 

Como você pode dizer ao seu irmão: “Deixe-me tirar seu cisco”, quando há sempre uma trave em seu próprio olho?

 

Mateus 7: 1-5

Entendendo que somos todos pecadores e que às vezes podemos ser mais severos em nosso julgamento tendencioso, é sábio não julgar os outros.

Como Jesus disse, se julgarmos assim, seremos julgados com a mesma severidade.


Quem pode julgar de acordo com a Bíblia?

A Bíblia é clara ao nos dizer que somente Deus tem o poder de julgar cada ser humano.

Vamos ler um desses versículos:

Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas você, quem é você para julgar o seu próximo?

 

Tiago 4:12

A Bíblia é clara, Deus que pode salvar e destruir, é o único que pode nos julgar.

Ele nos ama, nos conhece e nos perdoa, se estamos juntos com Jesus, não devemos temer seu julgamento.

Seu julgamento será a nosso favor.


Os cristãos podem julgar em qualquer situação?

No caso da disciplina eclesiástica

Em certos casos, especialmente no que diz respeito à disciplina da igreja, a igreja como corpo corporativo tem o dever de tomar decisões sobre seus membros.

Existem alguns casos extremos, em que, para proteger a igreja, certas pessoas devem ser expulsas de seu meio se persistem em se rebelar contra Deus.

Um texto de exemplo para apoiar este argumento é este:

É minha vez de julgar os de fora?

 

Não são vocês que devem julgar os insiders?

 

Deus julgará os de fora.

 

“Expulse os ímpios do meio de vocês.”

 

1 Coríntios 5:12-13

No caso de falsos mestres ou profetas

Além disso, os cristãos são chamados a usar o discernimento para evitar serem vítimas de falsos mestres e profetas, mas analisando seus frutos devemos concluir se devemos ouvi-los ou não.

Um texto de exemplo para apoiar este argumento é este:

“Cuidado com os falsos profetas.

 

Eles vêm até você disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes.

 

Pelos seus frutos os conhecereis. As uvas são dos espinhos ou os figos dos cardos?

 

Da mesma forma, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins.

 

Uma árvore boa não pode dar frutos ruins, e uma árvore ruim não pode dar frutos bons.

 

Toda árvore que não dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo.

 

Assim, pelos seus frutos os conhecereis.

 

Mateus 7:15-20

No caso de disputas legais entre irmãos

A Bíblia também ensina que a igreja deve mediar em questões legais e disputas entre irmãos.

Se algum de vocês tem um processo com outro, como ousa processar os não convertidos, em vez de ir aos crentes?

 

Eles não sabem que os crentes julgarão o mundo?

 

E, se você tem que julgar o mundo, como não ser capaz de julgar casos insignificantes?

 

Você não sabe que até os anjos julgaremos?

 

Quanto mais os assuntos desta vida!

 

Portanto, se eles têm ações judiciais sobre tais assuntos, como é que eles nomeiam como juízes aqueles que não contam para nada perante a igreja?

 

Digo isso para envergonhar você.

 

Não há ninguém entre vocês sábio o suficiente para julgar um processo entre crentes?

 

Pelo contrário, um irmão processa outro, e isso antes dos incrédulos!

 

1 Coríntios 6:1-6

Os textos acima podem parecer um pouco confusos, mas vamos lembrar que tudo tem seu contexto, aqui Paulo está falando sobre o fato de que vamos julgar o mundo no futuro quando estivermos no céu.

O mais importante é que ele está recomendando que a igreja seja a mediadora nos processos, em vez de acobertar, mas não os indivíduos para julgar seus irmãos.

Princípios que regem esses processos

Em todos esses casos, o amor deve prevalecer.

De forma alguma endossamos fofocas ou críticas.

Nunca devemos julgar negativamente.

Se como igreja é estritamente necessário se envolver em algum assunto externo ou, deve ser sempre com sabedoria para proteger a igreja, para ajudar, ou para disciplinar aquele que está em erro na esperança de redimi-lo de seu pecado.


É pecado julgar de acordo com a Bíblia?

Se fizermos isso fora dos pontos que vimos anteriormente, sim.

Ao julgar os outros, vamos contra o mandamento que Jesus nos deu:

“Não julgue e você não será julgado.

 

Não condene, e você não será condenado.

 

Perdoem, e serão perdoados.”

 

Lucas 6:37


O que fazer se alguém estiver me julgando?

Se alguém te julga e você está angustiado, ore para não ficar ressentido com essa pessoa e exclame como Paulo:

Minha consciência está limpa, mas isso não me torna inocente.

 

É o Senhor que me julga.

 

1 Coríntios 4:4

Se alguém te julgar, descanse nos braços de Deus, sabendo que Ele o redimiu.

O fato de alguém te julgar ou falar mal de você não é desculpa para fazer isso sozinho.

Confie em Deus que é justo e no devido tempo julgará cada um com amor.


Conclusão

Sobre o assunto de julgar na Bíblia, precisamos pedir a Deus que nos ajude a ser humildes.

Reconhecer nossa condição, amar os outros como a nós mesmos. Por isso, é importante entender nossa identidade diante de Deus, como neste nosso estudo aqui.

Tolere com esse amor suas fraquezas e erros, por maiores que sejam.

Submeta-se diariamente ao arrependimento e justificação que só vem de Jesus nosso Senhor. Quando julgamos, criamos juízo em nossa própria razão, como aponta este estudo.

A Bíblia nos convida a deixar o julgamento para Deus, que sempre foi e sempre será o único que é santo e digno de julgar.


Significa

Conselho bíblico para parar de julgar

#1 Não se compare ou acredite que você é melhor que os outros, lembre-se que somos todos iguais diante de Deus.

#2 Evite o preconceito, ouça ativamente e compartilhe com a pessoa, você pode se surpreender e acabar com um novo amigo.

# 3 Tente ver as pessoas como Jesus as veria com amor, como filhos de Deus e no processo de serem melhores.

# 4 Evite pessoas que falam mal dos outros ou julgam.

# 5 Trate os outros como você gostaria de ser tratado.

# 6 Concentre-se nas boas características que outras pessoas têm.

# 7 Ore para que Deus lhe mostre por que você tem essa tendência e o ajude a mudar.

# 8 Use as falhas que você vê nos outros como um espelho para ver essas falhas em si mesmo.

# 9 Ore pelas pessoas que você não gosta ou quer julgar.

#10 Rápido.

Espero que este post tenha ajudado você a esclarecer a questão do julgamento na Bíblia.


Você está lutando para julgar os outros? Gostaria de parar? Qual é a circunstância que você está passando? Deixe-nos saber nos comentários.


 

O que a Bíblia diz sobre julgar os outros?

Sobre o autor

Daniel & Jessi

Quando minha mente estava cheia de dúvidas, seu conforto renovou minha esperança e minha alegria. Salmos 94:19 | Conheço muito bem os planos que tenho para vós — afirma o Senhor — planos de bem-estar e não de calamidade, para vos dar futuro e esperança. Jeremias 29:11
Happy
Happy
100 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.